domingo, 16 de agosto de 2009

Doença em Viagem + Menor de Idade

O assunto do post de hoje é sério!
-
Quando vi aquela história da garota de 15 anos que morreu de Pneumonia numa volta de viagem da Disney fiquei horrorizada e com um pouco de medo, confesso! Simplesmente porque 10 anos atrás poderia ter acontecido comigo... e QUASE aconteceu!
Então, resolvi usar minha história pessoal para fazer um post de alerta a quem possa interessar.
-
Não é de hoje que as pessoas se importam mais com dinheiro do que com RESPONSABILIDADE. Percebo isso todo santo dia no meu trabalho: quando um cliente chega reclamando da demora na entrega de seu serviço eu respondo: você prefere QUALIDADE - leia-se um serviço bem feito - ou RAPIDEZ - com um serviço meia-boca que você passará a eternidade me xingando porque não ficou do seu agrado?!
-
No mundo de hoje RAPIDEZ virou sinônimo de EFICIÊNCIA e AGILIDADE. Digo virou, porque não é a mesma coisa!!! Certos tipos de trabalho são minuciosos, exigem RESPONSABILIDADE e portanto TEMPO, ATENÇÃO e PACIÊNCIA.
Porém, quando se trata da SAÚDE alheia a RESPONSABILIDADE é maior ainda.

Lembro que quando fiz Patologia Clínica éramos frequentemente alertados sobre procedimentos CORRETOS para não ferirmos ou prejudicarmos os pacientes e, é claro, para não nos contaminarmos.
Bem, chegando no estágio que, além de tudo não era remunerado, as coisas funcionavam no completo oposto. Alguns exemplos dos absurdos que presenciei e/ou ouvi falar:
-
- Lavagem e reaproveitamento de agulhas e seringas usadas em experimentos [por exemplo, com veneno de cobra]
- Manuseio de ácidos em lugares fechados
- Coleta de sangue de pacientes sem usar luvas
- Lavagem e reaproveitamento de potes usados na coleta de fezes [isso em um lab que tinha ISO]
E por aí vai... Tudo isso é TERMINANTEMENTE ERRADO E PROIBIDO.
-
Pra se ter uma idéia, nos 2 estágios que fiz eu era satirizada por cumprir as regras: roupas brancas, cabelo preso em coque com rede, luvas descartáveis no tamanho certo, jaleco de manga comprida, calçados fechados e máscara.
-
Mas o que eu pretendia escrever nesse post mesmo é sobre o que me aconteceu antes da Patologia Clínica:
-
Quando eu tinha 14 anos, já perto de completar 15, a minha turma fez uma viagem para comemorar a formatura do Ensino Fundamental. A idéia inicial era ir para a Disney, mas o dólar subiu demais e acabamos indo para uma Pousada famosa em Goiás.
Não fomos por agência de turismo... a nossa diretora e sua filha foram pessoalmente e, além delas, a própria Pousada tinha monitores para vigiar os alunos [havia outras escolas também].
Nada disso impediu que absurdos acontecessem e muito menos que tentassem acobertá-los.
-
Num certo dia 2 adolescentes da minha turma simplesmente DESAPARECERAM. A diretora entrou em pânico!!! Até que eles apareceram com cara de que nada tinha acontecido... O detalhe é que eles tinha sumido com 2 garotas da outra escola. Nem preciso explicar, né...
No mesmo dia eu passei por um stress porque eu e as meninas do meu quarto conseguimos, milagrosamente, trancar todas as chaves dentro do quarto [daqueles quartos que ao fechar a porta ele tranca por fora] e tive que esperar mais de 2h alguém do hotel aparecer com a chave mestra para abrir e eu poder me trocar e ir almoçar.
-
Quando, à noite, finalmente os moços apareceram fomos todos jantar no restaurante do hotel. Exclúida da mesa onde estavam a maioria dos meus colegas de classe [havia 2 classes da escola na viagem] fui comer sozinha numa mesa pequena e enchi o prato de creme de milho, iguaria que eu estava experimentando pela 1ª vez. Só que estávamos no verão e em Goiás faz um calor desgraçado nessa época e o restaurante Self Service deixava todos os alimentos expostos, ao ar livre, onde moscas simpáticas vinham sentar e degustar a comida que pretendíamos comer.
-
Calor + mosca = comida estragada!
-
No dia seguinte acordei passando mal. Segurei a ânsia de vômito até que as meninas acordassem e saíssem do quarto. Quando elas finalmente saíram levantei, pus um "não pertube" na porta e fui vomitar no banheiro e tomar banho. Passei quase o dia todo na cama, até que uma amiga veio ver porque eu ainda não tinha saído... Foi aí que decidi ligar pra minha mãe e ela me disse o que fazer, comer e beber para parar ou diminuir a ânsia de vômito e a diarréia.
Só aí alguém teve a brilhante idéia de avisar a diretoria.
-
Para minha surpresa a nossa querida diretora [irônica mode on], ao invés de mandar me levarem direto para o médico da Pousada [se é que tinha algum] ou ao hospital mais próximo, se conteve em simplesmente me dar uma bronca por ter ligado para a minha mãe.
Sim, isso mesmo!
Não fizeram nada a respeito, exceto temer serem responsabilizados por ninguém ter dado falta de mim até depois do meio-dia.
Por sorte eu melhorei sozinha e continuei bem nos 2 próximos dias da viagem. Mas até hoje o cheiro de milho me enjoa.
-
Além disso aconteceram outras coisas, como uma garota da outra classe que ficou bêbada até desmaiar e com várias testemunhas. Eu não sei até hoje como serviram altas doses de bebida alcoólica para uma adolescente sem pedir a identidade [mesmo que ela parecesse mais velha].
Para alguns pode parecer algo divertido e pode parecer que eu sou uma rabugenta... mas isso é sério! Ela quase entrou em coma alcoólico... E as pessoas, incluindo os adultos, só se dão conta da seriedade dessas situações quando alguém morre e alguém é processado pela Polícia Federal... como está acontecendo agora!
-
Por isso quando eu vi a reportagem sobre a garota que morreu voltando da Disney imediatamente eu pensei: podia ter sido eu, 10 anos atrás!!!
-
Por isso também resolvi fazer esse post e deixo um alerta aos papais e mamães que mandam seus filhos adolescentes em viagem longas e distantes com excurssões ou escola: fiquem de olho!
Não confiem plenamente na agência e nos monitores!
Aproveitem a era da tecnologia [que na minha época não era tão avançada] e ligem pelo menos 1 vez por dia para o celular de seus filhos para saber como estão, mesmo que eles não gostem.
-
E um alertas aos adolescentes que forem nessas viagens: liguem para os seus pais caso ocorra qualquer tipo de problema: eles têm o direito de saber e são eles que tem meios legais de garantir seu bem estar, se for necessário!
-
As meninas que estavam na viagem junto com a garota que morreu dizem que os agentes tentaram de todas as formas esconder o estado dela, para que pudesse embarcar no avião e que mandaram elas se maquiarem para parecerem saudáveis. Eu não duvido nem um pouco, porque passei pelo mesmo tipo de negligência!!!
-
Não devemos nos apavorar e proibir todos os adolescentes do mundo de viajar!
Viajem... mas fiquem alertas!!!

Um comentário:

Bel disse...

Post muito válido Cris.
Quando eu estava na quinta-série, minha escola fez uma excursão para o SESC Itaquera, e advinhe, 2 amigas minhas foram "esquecidas" no loca.
Sesc Itaquera é extremo leste de SP, eu moro no extremo sul. As duas loucas voltaram pra casa de transporte público, as mães delas quase morreram quando descobriram que o ônibus da excursão chegou na escola e elas não, por sorte não aconteceu nada. Certas instituições são muito negligentes mesmo, um caos..

Postar um comentário

Muito obrigada pela sua visita e pela mensagem.
Comentário anônimos de ataque gratuitos serão deletados!
Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre!