segunda-feira, 1 de março de 2010

Uma História Felina

Gente, estou com o coração apertadinho... doendo... quase saltando pela boca!
Esta é a Pantera, minha gata:


A história dela e de sua ninhada é triste.
Atualmente trabalho num escritório que tem uma loja grande embaixo e uma casa grande em cima, no 2º andar e  ao lado, no mesmo andar que o nosso, um consultório dentário.
A pessoa que mora na casa de cima nem se pode dizer que mora lá... Ela aparece aqui uma vez a cada 15 ou 30 dias. Até aí, tenho nada com isso... Porém, ela tem uma grande e linda gata preta que deu cria na mesma época em que mudamos o escritório para cá. Não demorou muito os gatinhos começaram a aparecer dependurados nas janelas em volta do prédio e o rapaz da loja debaixo vivia resgatando-os.

Tão logo os bichinhos desmamaram a pessoa que mora em cima ABANDONOU os bichinhos à própria sorte. Isso mesmo, soltou sem dó nem piedade. Agora - me perdoem o palavriado - P*UTA M*RDA, custava ter deixado os bichinhos pra doação em algum Pet Shop??? Tem uns 10 aqui nas redondezas, sem brincadeira!!!
Isso pra mim só tem um nome: CRUELDADE.
E infelizmente no Brasil não existe lei e nem mesmo uma organização decente que resgate e cuide de animais nessas condições. [pelo menos não achei nada na minha pesquisa]

Um desses filhotes apareceu miando desesperado na escada perto da minha porta. Isso foi em 26 de Novembro. Fui ver de onde vinham os miados, com medo que fosse um dos bichinhos que estivesse em apuros e encontrei essa coisa fofa aqui, miando desesperada de fome e sede:


Um tempo depois disso passei a ouvir, no telhado da loja vizinha, - que dá pra ver da minha janela que é mais alta - miados abafados e de vez em quando eu via um pedaço de cauda saindo de dentro de uma das calhas. Estava cismada que havia um gato preso naquele telhado, mas ninguém me deu ouvidos.

Mais algumas semanas se passaram e certa vez vi um lindo gato malhado de preto e branco miando na beira do telhado da cobertura da frente, no corredor do outro lado do prédio. Tentei 2 dias fazê-lo descer, mas nada aconteceu.
Uns dias depois meu pai me contou que encontraram um gato preto, também filhote, caído no outro corredor. Ele estava muito arisco e traumatizado. Aparentemente tinha tentando pular do telhado, talvez para procurar comida e caiu de uma altura muito grande. Ninguém conseguiu se aproximar para cuidar dele.
Não sabemos como, mas ele acabou voltando pro telhado.

A partir daí sempre víamos no telhado vizinho, abaixo da nossa janela, os 2 gatinhos juntos: o malhado e o preto. O preto era muito, muito medroso... mas o malhado, mais atrevido e que sabia que a Pantera mora aqui no escritório, pois já a tinha visto na janela... passou a miar, pedindo comida. Então comecei a jogar 1x por dia porções de ração. Não dava pra eles virem até a minha janela, porque entre a janela e o telhado vizinho há um corredor aberto, que pertence à loja abaixo de nós.
O preto principalmente estava tão magro que dava para ver suas costelas e quando jogavamos a ração eles comiam com uma voracidade absurda. Vendo isso me dava vontade de torcer o pescoço dessa pessoa que os largou à própria sorte!!!

Começamos a ficar preocupados com os gatinhos não mais pela comida, mas pela água. Eles não tinham nada para beber e corriam o risco de ficarem doentes por isso.
Um dia meu pai pediu emprestada a escada do rapaz da loja debaixo e colocou 2 potinhos com água, um para cada. Queríamos tentar tirá-los de lá, mas primeiro precisávamos conseguir sua confiança.

Na 2ª vez que meu pai foi colocar a água conseguiu pegar apenas o malhado. O preto, mais medroso, sempre sumia quando alguém se aproximava pelo corredor lateral.
Tentei trazer o malhado para o escritório apenas para cuidá-lo... dar água e comida... e depois levar em um dos Pet Shops da região para deixá-lo para doação, mas não deu certo.
A Pantera ficou furiosa, sentindo seu território ameaçado e tentou brigar com ele. Tentando segurá-la para que não brigassem, eu é que acabei com vários cortes feios na mão e um no nariz. O malhado acabou fugindo e se escondeu numa parte coberta que tem nos fundos do prédio.

Numa outra ocasião conseguimos pegar o malhado de novo, que descobrimos ser fêmea, mas ela estava mais arisca dessa vez. Fugiu de nós duas vezes e desapareceu. A parte boa disso é que conseguimos fazer amizade com o preto. Ele aprendeu que na parte dos fundos do prédio o telhado se encostava a nossa parede e ele tinha impulso suficiente para subir até a nossa janela e assim passamos a colocar para ele um pote de água e um pote de comida constantemente.
Ele se tornou um gato muito, muito dócil e, graças à boa comida, o pelo dele se tornou lindo e brilhante como o da minha Pantera.

Mais alguns dias e ele conseguiu descer para o solo sozinho sem se machucar. Estamos cuidando dele na medida do possível e as outras pessoas do prédio, em especial o rapaz dono da loja debaixo, estão nos ajudando.

Porém ele precisa URGENTEMENTE de um lar de verdade, com uma cestainha ou caminha quente e protegido do vendo e da chuva!

Ele é muito carinhoso e dócil para sobreviver nas ruas, ainda mais agora que a malhadinha o deixou!
Ele é tão dócil que mesmo brincando nunca arranha nem morde! A única coisa que faz é se enroscar na perna da gente e depois se virar no chão, todo preguiçoso para coçarmos sua barriga. É a coisa mais linda e fofa desse mundo!!!

Por isso, deixo aqui meu apelo para que alguém responsável e que queira um animalzinho como companheiro o adote!!! Ele tem aproximadamente entre 5 e 6 meses. Ele é igualzinho à Pantera, sendo a única diferença que ela tem o peito branco e ele é todo preto. Eis uma foto atual dela:



Agradeço imensamente a atenção!!!
E quem não puder ficar com ele, se possível por favor divulgue esta história!

3 comentários:

Giuliana disse...

Queria muito ficar com ele, mas não sei em que cidade tu mora...Se puder me avisar, ficarei muito feliz em ajudar!! Beijos

Inaiá disse...

Nossa, q história triste...
tipo, eu sou da baixada santista, se vc tb for, avisa por e-mail(acho q meu e-mail esta indo junto com o comentário)

Cris Soleitão disse...

Olá Giuliana e Inaiá

agradeço muitíssimo o interesse, de coração!!! Mas notem que o post é antigo, de 1º de Março. Deixei cartazes em alguns pet shops aqui da região [aliás, sou de São José dos Campos - SP] mas ninguém se interessou.
Fiz esse post em outros lugares também... outros blogs e fóruns e não obtive respostas.

Os 2 gatinhos acabaram sumindo por contra própria. Pode ser que simplesmente tenham fugido ou que alguém os tenha adotado, assim como adotei a Pantera. Não tenho como saber, mas rezo e torço para que eles estejam bem!!!

Muito obrigada mesmo por terem se oferecido!

Postar um comentário

Muito obrigada pela sua visita e pela mensagem.
Comentário anônimos de ataque gratuitos serão deletados!
Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre!