quarta-feira, 6 de março de 2013

Fotografia, Ética e Orgulho

Este post é mais um da série: posts não planejados trazidos do FB.

Faz tempo, muito tempo mesmo, que não falo de Fotografia aqui, então resolvi aproveitar a deixa.
Hoje estava tentando organizar meu HD externo e achei coisas 'antigas'. Entre elas essa pérola que foi um episódio bastante triste que me aconteceu.
Acabei aproveitando para escrever um texto de desabafo.

Foto picareta que cobra caro à esquerda e foto minha do mesmo tema à direita!

Quando alguém despreza meu trabalho não vou negar que fico, sim, chateada. Especialmente quando é alguém próximo e, principalmente, quando eu ofereci como presente.

Mas se fosse pra me trocar por alguém REALMENTE MUITO BOM / EXCELENTE, tipo uma Patricia Figueira... eu nem me atrevia a falar NADA!!! Eu simplesmente me recolheria à minha insignificância. Não é MESMO o caso!!!

Porém, o mais triste é quando enchem a boca pra dizer que contratou alguém muito melhor do que eu, que tem o equipamento não sei das quanta, que cobrou não sei quanto, etc...
E o resultado final É UMA BELA BOSTA!

Fotos escuras, cabeças cortadas, fotos desfocadas, etc... tudo isso em um evento de uma pessoa de elite, ou que pelo menos ACHA que já chegou lá.

Eu posso não ter o equipamento mais top de linha ainda, mas pelo menos EU SEI O QUE ESTOU FAZENDO!!! Porque tive 3 excelentes professores, que nunca hesitaram em me puxar as orelhas e dizer o que está errado.
E todos os professores que tive a vida toda (não só de fotografia) me ensinaram acima de tudo uma coisinha chamada ÉTICA, que basicamente consiste em não enganar o cliente!!!

Fica a dica: equipamento bom NÃO é sinônimo de bom profissional!!!
Orçamentos com valores absurdos NÃO são sinônimos de garantia de qualidade!!!

FOTOGRAFIA NÃO É SÓ APERTAR BOTÃO!!!

Como disse pro Morfs (um amigo) esses dias: você pode ter uma Hassel com uma lente 1.4 e não vai adiantar nada se não souber o que fazer com ela, se não tiver experiência e nem técnica.

[sarcasmo]Mas, né... eu sou só a pobretona que brinca de fotografar... O que eu entendo disso afinal? Só por que cresci dentro de uma loja de fotografia penso que sei alguma coisa? [/sarcasmo]

Eu não sou, nem de longe, uma expert... mas pelo menos eu não faço tamanha lambança e nem muito menos cobro valores exorbitantes por um trabalho horroroso!

E o picareta ainda tem a cara de pau de colocar as fotos "orgulhosamente" em seu site.
Será que as pessoas comuns são mesmo TÃO cegas assim a ponto de não perceberem os defeitos para lá de óbvios que um PROFISSIONAL JAMAIS deve cometer???

Fica aí em cima a comparação para verem com seus próprios olhos!!!

3 comentários:

NaiaraAmeba disse...

Vi seu texto pelo face, mas achei melhor comentgar por aqui. Não tem como a gente não ficar triste quando recusam nosso trabalho, principalmente quando é um presente para um amigo. Pelo que observo de você, você tenta ser muito boa no que faz, e principalmente em se tratar de fotografias. Então, a pessoa simplesmente ficar naquela de: ah, eu vou pagar caro porque posso, enquanto você se ofereceu para fazer o serviço deve ter sido realmente frustrante. Nunca passei por isso, acho, mas entendo completamente seu ponto, de verdade.
E o pior deve ter sido ver o excelente trabalho caro do outro fotografo. Olha que eu que não entendo muito da coisa e só tive uma aulazinha na vida de fotografia (porque uma coisa que eu realmente queria saber fazer era fotografar, porque acho uma arte linda) consigo notar a discrepancia na qualidade dos trabalhos.
Infelizmente, Cris, nem todo mundo tem professores que, como os seus, ensinaram um pouco de ética. A vida, entretanto, é assim mesmo, o que é uma pena.
Hoje mesmo, no trabalho, passei por uma situação super constrangedora e desagradável. Tentei ajudar um servidor pelo telefone, mantendo toda a calma do mundo enquanto ele, desde o "alô", foi extremamente gosseiro e mal educado comigo, inclusive se recusando a se identificar. Ele simplesmente me mandou ir para a p*t@ que pariu e delisgou na minha cara - isso depois de me chamar de incompetente mais de uma vez e dizer que eu só estava naquele trabalho porque algum familiar meu tinha me colocado lá (quando, na verdade, eu participei de um processo seletivo, não conehcia ninguém de lá, e já estou quase saindo porque passei em um concurso para um estágio ótimo em uma boa colocação, que provavelmente vai me chamar logo logo). Fiquei frustrada, fiquei com ódio, e depois eu respirei fundo e estou tentando superar. porque é péssimo não ter seu trabalho reconhecido, e pior ainda ser tratada comop um macaco quando sua mãe lhe ensinou a tratar até bicho como se fosse gente. Esse ser, que disse ser estudante de direito, apesar de ser um funcionário da educação (e me tratou desse jeito, para você ver... ), provavelmente odeia o que faz e só continua no emprego por conta do salário, assim como o o "profissional" da fotografia ai de cima. Eu, ao contrário, adoro o que eu faço. Amo meu estágio e estou lá não pela bolsa no final do mês, mas porque eu gosto de ajudar as pessoas e me sinto feliz quando algum servidor me agradece pela atenção que eu tive com o processo dele.
Acho que essa é a difença principal entre a sua foto e a foto do "profissional". Você faz porque ama. Você não bate fotos só pelo dinheiro que isso te dá no final do mês, mas também pela satisfação ao deitar na cama, e o prazer de ter um trabalho bem feito.
Então, apesar de eu ter feito um leve desabafo (passei a tarde desabafando, ai comprei um multiprocessador para ficar alegre de novo - completamente louca) acho as as duas situações tem alguma semelhança e espero que você também, consiga chegar a conclusão de que, você pode não ter o melhor equipamento e nem ser a melhor naquilo que faz, mas o importante é fazer tentando ser a melhor, e fazer com amor. No final das contas, isso faz toda a diferença, mesmo que algumas pessoas não reconheçam!

Cris NS disse...

Não precisa pedir desculpas pelo seu desabafo, não. Esse post é pra isso mesmo!!!
Dá muito ódio essas coisas, não dá?

Eu vi um vídeo no YouTube (se eu reencontrar te passo) que na verdade é só o áudio de uma gravação de um atendimento de telemarketing, muito semelhante ao que você descreveu. Desde o "alô" o cara foi extremamente grosseiro, berrando e falando impropérios que não tinham nada a ver com coisa nenhuma e o atendente com uma paciência de Jó que pra mim, se estivesse no lugar dele, seria impossível. Por isso nunca tentei trabalhar com esse tipo de atendimento, apesar das insistências da minha mãe.

Infelizmente gente que nem nos conhece (não conhecem nem um pouco MESMO) se acham no direito de fazer julgamentos absurdos como o que você citou: falar que você só conseguiu algo por QI, por exemplo. Tá cheio de babaca assim no mundo!

Todo tipo de pré-julgamento (ou pré-conceito) é prejudicial, inclusive quando é o contrário como aconteceu na situação que descrevi nesse post. A pessoa em questão pré-julgou 2 coisas: 1º "santo de casa não faz milagre" (em relação a mim) e 2º que pelo outro 'profissional' ter O equipamento cheio de frescura e provavelmente um escritório chique, cheio de frescura... ele necessariamente seria melhor que eu.

Eu estou sempre falando sobre certas situações bem específicas que acontecem no mercado fotográfico, mas a pessoa preferiu não me ouvir, no mínimo achando que era apenas dor de cotovelo minha e não seriedade profissional. Afinal, na cabeça dele, profissionais sérios são aqueles que trabalham em uma empresa, com hierarquia definida. Gente que tem chefe. E não gente, como eu que faz seus próprios horários e suas próprias ordens.

Infelizmente o que aconteceu com ele acontece MUITO no mercado fotográfico. Eu posso perdoar uma pessoa ingênua, mas não uma pessoa que como ele foi alertada sobre isso diversas vezes.
Ele contratou uma grande empresa de fotografia, filmagem, som e iluminação. E por ser empresa é fácil passar a imagem de idoneidade. Essas empresas geralmente tem uma grande sede, em um prédio comercial ou uma casa própria. Tem um estúdio de deixar qualquer amador babando. Tem mais de 10 modelos de álbuns de portifólio para mostrar aos clientes. Tem uma sala de espera e um escritório luxuosos, cheios de enormes posters de pessoas sorrindo, tanto do lado de dentro quanto na fachada de fora. Tem um site LOTADO de depoimentos melosos de supostos clientes satisfeitos. E, óbvio, tem muito dinheiro para investir em equipamentos importados e caríssimos. E uma equipe enorme: pelo mesmo preço de um profissional autônomo sozinho, eles mandam 2 fotógrafos, 4 cinegrafistas, etc... e ainda parcelam tudo em 500x no cartão de crédito.
Tudo isso DESLUMBRA o cliente.
O que esse mesmo cliente não sabe é o que está por trás... a forma como essas empresas agem.
Eles contratam pessoas, geralmente jovens na faixa de 18 a 25 anos, solteiros que moram com os pais (ou seja, com poucas responsabilidades e gastos) dispostos a fazer um bico de freelancer no fim de semana. Não são profissionais dedicados à profissão. Não são pessoas que estudam o que estão fazendo!

Cris NS disse...

(Continuando...)

São pessoas que recebem uma MERRECA (entre R$ 100 e R$ 300) para ficar 6h ou mais entre cerimônia e festa fotografando e filmando. Como ganha pouco e não tem paixão pela profissão, o cara faz de qualquer jeito. Até porque, muitas vezes, essas empresas mandam um supervisor que os obriga a ficar essas 6h em pé sem intervalo, sem comer, sem beber e sem ir ao banheiro.
O cara faz porque precisa de uma graninha extra pra pagar a conta de luz no fim do mês, mas fica com raiva porque não está sendo tratado com dignidade e não tem amor pela profissão.
Muitas vezes criam-se nesse processo cobras que começam a guardar esse cachê para comprar sua própria câmera e abrir uma empresinha de fundo de quintal. Ou seja, de cada empresa grande saem mais 10 concorrentes por ano, que estragam o mercado... porque agora que tem sua própria câmera ele se acha no direito de cobrar caro, por um serviço que ele CONTINUA não gostando e fazendo de qualquer jeito. Ele CONTINUA visando só o dinheiro, só que dessa vez visando um lucro alto em cima do DESrespeito ao cliente.
E na maioria das vezes essas pessoas tem outro emprego durante a semana, mesmo quando abre a portinha da sua garagem como empresa de fotografia. Porque aí ele põe a namorada / esposa / amigo / irmão / pai / mãe / qualquer um, que entende mesmo que ele do assunto, pra atender os clientes durante a semana e 'editar' o material.

E o resultado final de todo esse processo é que TODOS os que trabalham com fotografia e filmagem ficam mal vistos pela maioria das pessoas, porque a maioria é de picaretas e pilantras.

Então... as pessoas acham que eu sou muito exagerada e rabugenta em relação à minha profissão (e também em relação a clientes folgados e caloteiros, o que também tá cheio)... mas quem, tendo que competir com ISSO não ficaria irritadíssimo no meu lugar?
Este é um dos motivos que estou saindo gradualmente da área de casamentos.

PS: espero que já tenham te chamado no outro estágio e que você esteja gostando muito!!

Postar um comentário

Muito obrigada pela sua visita e pela mensagem.
Comentário anônimos de ataque gratuitos serão deletados!
Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre!