sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Livro Infantil: Perdida na Neve

Este também foi uma aquisição feita na Bienal do Livro.

O stand da Ciranda Cultural foi  um dos primeiros que vi e visitei. Se não me engano, foi lá que comprei o livro do Hugh Laurie. E em uma banquinha ao lado havia diversos livrinhos infantis, boa parte deles dessa autora, Holly Webb. Estavam quase de graça...

Eu sei que dá pra pensar: se você não é mais criança, não trabalha com crianças e não tem filhos, por que comprar um livro desse?

Primeiro, porque eu gostaria de escrever uma historinha infantil um dia, e queria ter uma noção da estrutura do texto voltado para essa faixa etária.
Segundo, porque sou apaixonada por gatos, rs. E Peludinha - a gatinha da capa - me cativou imediatamente.

Bem, este é um livro que eu recomendo altamente para os papais e mamães. Eu imagino que a faixa etária dele seja entre 6 e 9 anos, mais ou menos. A linguagem é fácil demais para uma criança maior e um pouco complexa para pequeninos de 3 ou 4. Claro que isso sou apenas eu palpitando aleatoriamente, já que não sou nenhuma especialista da área.

O que mais amei neste livrinho é que ele pode ser uma excelente ferramenta - assim como os outros da mesma coleção - para ensinar às crianças desde cedo sobre posse responsável, sobre a forma correta de se tratar os animais de estimação.

Primeiro temos uma gata de fazenda que deu cria.
Como os filhotes foram colocados para adoção, é óbvio que não são de raça. A fazenda passa por dificuldades e a família demora um pouco para conseguir achar lares para todos os 5 gatinhos, principalmente Peludinha que ficou por último. E não há garantia de que sejam bons lares.
Isso já pode ser uma boa maneira de explicar sobre a importância da castração. Por que deixar a gata procriar se não tem condições de ficar com os filhotes e nem de lhes dar garantia de um bom destino?

Depois, uma menina se apaixona pela última gatinha, mas a mãe dela reage como boa parte dos adultos insensíveis e ignorantes desse mundo: xingando a gata e mandando a menina largá-la e se afastar. Após ser maltratada por um garoto pestinha - cuja mãe queria obrigá-lo a adotar e cuidar da gata - Peludinha foge da fazenda e se torna um bichinho de rua.
E essa parte é excelente para mostrar como os animais também tem sentimentos, sensações e necessidades: sentem frio, fome, dor, ficam tristes e com medo ou alegres e satisfeitos. E mostra bem como animais de rua são tratados com crueldade pelas pessoas - mesmo aquelas que tem outros animais de estimação -, como se o coitadinho tivesse culpa de ter sido abandonado / maltratado.

Também é interessante porque mostra aqueles casos que muitas vezes vemos notícias na TV ou internet, mas custamos a acreditar. Quando um animal de uma espécie adota um filhote de outra. Neste caso, Peludinha recebe a ajuda de uma raposa.

Enquanto isso acontece, Helena - a garota que queria adotá-la - fica tão triste que quase adoece e os pais resolvem ceder ao seu desejo. Mas chegando na fazenda descobrem que a gatinha fugiu. Helena faz de tudo para encontrá-la, mas no fim é Peludinha quem, por sorte, acaba achando-a.

É uma fofura de livro e acho altamente recomendável até mesmo com fins pedagógicos, pois o que mais precisamos é de adultos mais conscientes em relação à natureza e à responsabilidade no futuro!

Outra razão que fez com que me agradasse muito, foi porque Peludinha tem uma semelhança com a história da minha Pantera, que também era a menorzinha da ninhada e por conta disso sofria com os outros irmãos maiores que ela na luta pela sobrevivência desde os primeiros dias de vida.

2 comentários:

NaiaraAmeba disse...

Eu amo livros infantis. Minha mãe é pedagoga e desde sempre ama esse tipo de literatura, então, ela senta as crias (uma criança de qse vinte e eu, beirando os 23) para contar histórias, e sim, ela faz isso mostrando as figurinhas para a gente. O interessante no livro infantil é o poder dele em despertar para a criança o interesse na leitura e, acima de tudo, o auxilio que ele dá aos pais na hora da aprendizagem. Não só são distrações, mas também ajudam as crianças a confrontar situações sérias de modo leve. Um dos advogados com quem eu trabalho tem um filhinho de quase dois anos e ele tem um cuidado todo especial na hora de comprar livros pro pequeno, para apresentar ao filho uma realidade coerente com a realidade na qual ele vive.
Esse deve ser uma graça, e a capa é muitooo adoráááável! E não se reprima se o mundo falar por você ter comprado a historinha infantil. Eu vivo pegando os livrinhos que tem aqui em casa (e são muitos) para ler antes de dormir. =X

Cris NS disse...

É muito fofo, sim! Eu devia ter trazido também a continuação dele.

"...também ajudam as crianças a confrontar situações sérias de modo leve."

O que vi nesse livro foi EXATAMENTE isso.

Postar um comentário

Muito obrigada pela sua visita e pela mensagem.
Comentário anônimos de ataque gratuitos serão deletados!
Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre!